Persistência do Canal Arterial

A Persistência do Canal Arterial é um problema cardíaco congênito, genético ou não, que afeta alguns bebês logo após o nascimento. Na persistência do canal arterial, o fluxo sanguíneo anormal ocorre entre duas das principais artérias conectadas ao coração – a aorta e a artéria pulmonar, que são conectadas por um vaso sanguíneo chamado canal arterial, na vida intrauterina do bebê, e é parte vital da circulação sanguínea fetal. Em minutos ou até alguns dias depois do nascimento, o canal arterial se fecha, o que é normal, mas em alguns bebê ele permanece aberto, permitindo que o sangue rico em oxigênio da aorta se misture ao da artéria pulmonar e sobrecarregue o coração e os pulmões.


Sintomas da Persistência do Canal Arterial

  • Sopro cardíaco – som extra ou diferente durante o batimento cardíaco;
  • Respiração rápida;
  • Esforço para respirar;
  • Falta de fôlego;
  • Necessidade de oxigênio extra ou ventilação para ajudar na respiração do recém nascido;
  • Alimentação prejudicada;
  • Pouco ganho de peso;
  • Cansaço fácil;
  • Suar ao realizar esforço, como ao mamar.

Atualizado em: 18/05/2018 na categoria: Doenças Cardíacas, Doenças do Sistema Circulatório, Doenças Genéticas