» » Nervosismo Excessivo: Sintomas, Causas – Como Controlar?

Nervosismo Excessivo: Sintomas, Causas – Como Controlar?

O nervosismo em excesso pode ser causado pelo estresse no trabalho, problemas em família, ansiedade, medo e grandes expectativas. Saber controlar o nervosismo é fundamental para que ele não ganhe dimensões exageradas e atrapalhe o dia a dia e o modo de lidar com os problemas e as pessoas a sua volta.

Sintomas de Nervosismo – O Que Pode Causar?

Quem está sempre nervoso ou passando por uma crise de nervos pode apresentar sintomas como:

O que Causa o Nervosismo?

O nervosismo é causado comumente por situações que causam estresse, mudanças, medo, expectativas: falar em público, um primeiro encontro, uma entrevista de emprego, cumprimento de metas, criar filhos, lidar com as tarefas domésticas diárias, enfim, inúmeras causas que podem causar um ataque de nervos.

Há, também, aqueles casos em que algumas pessoas já são naturalmente mais nervosas e isso é atribuído à sua própria personalidade e ao seu jeito de ser.

Mesmo assim, o nervosismo não deve ser encarado com naturalidade, já que ele pode afetar a qualidade de vida e das relações pessoais de um indivíduo, além de provocar, a longo prazo, diversas doenças.

Nervosismo Excessivo – O Que Pode Ser?

O nervosismo excessivo é causado pelas mesmas situações cotidianas que causam estresse, mas que são encaradas com muito mais irritabilidade, impaciência e insatisfação, assim como acontecimentos pontuais: uma prova muito importante, apresentação de um projeto, expectativa com uma viagem, com a primeira relação sexual, acontecimento de acidentes e doenças em família, enfim, inúmeras razões.

O nervosismo excessivo pode prejudicar o desempenho pessoal de uma pessoa em seu trabalho, na escola ou faculdade e nas relações pessoais.

Por isso é importante saber como se controlar frente a essas situações e encará-las da maneira mais natural possível, exercitando a calma e a paciência.

Como Controlar o Nervosismo?

Para controlar o nervosismo é preciso parar, controlar a respiração, o temor e a impulsividade.

  1. Respire fundo e lentamente com o diafragma: ao respirar, você deve movimentar a barriga e não o peito. Vá para um lugar arejado ao ar livre, se possível;
  2. Pratique exercícios físicos diariamente: eles dão uma sensação de prazer e bem-estar e ainda mantém a saúde em dia;
  3. Silencie e busque dentro de si a motivação para se acalmar: pergunte a si mesmo se tanto nervosismo é necessário. Na grande maioria das vezes, senão em todas elas, é com calma e paciência que os problemas são resolvidos e o nervosismo só faz tudo piorar;
  4. Durma bem: uma boa noite de sono é fundamental para recarregar as energias e renovar a saúde e disposição mental.

Se o nervosismo é causado por ter que falar em público, você deve:

  1. Fazer exercícios de respiração antes de começar;
  2. Falar devagar, sem atropelar as palavras. Se possível, leve uma ficha com os pontos importantes sobre o que vai discorrer para “colar” se esquecer de algo;
  3. Para disfarçar as mãos trêmulas você pode segurar uma ficha de papel com as duas mãos ou apoiá-las em uma mesa ou cadeira a sua frente. Manter as mãos entrelaçadas à sua frente também é válido.

Quais Doenças Podem ser Causadas pelo Nervosismo?

Nervosismo, ansiedade e estresse contínuos podem causar uma série de doenças, como:

  • Doenças infecciosas (mais gripes e resfriados, por exemplo) devido ao enfraquecimento do sistema imunológico;
  • Síndrome do Pânico e depressão;
  • Gastrite e úlceras;
  • Enxaqueca;
  • Acne, dermatite e seborreia: o nervosismo em excesso pode aumentar a atividade das glândulas sebáceas e favorecer o surgimento de espinhas e outros problemas de pele relacionados;
  • Bronquite e asma;
  • TPM – Tensão Pré-Menstrual e cólicas;
  • Pressão alta;
  • Obesidade;
  • Espasmos musculares frequentes;
  • Câncer: alguns tipos podem ser causados pelo estresse e nervosismo em excesso, já que eles também causam danos às células.

Nervosismo Emagrece?

O nervosismo pode, sim, fazer alguém emagrecer, assim como causar ganho de peso.

Isso acontece porque cada organismo reage ao nervosismo em excesso de maneira diferente: alguns sentem muita fome, comem mais e engordam (o nervosismo pode causar, inclusive, obesidade) e outros desenvolvem sintomas e doenças como dor de estômago, gastrite, diarreia, nó na garganta, enjoos, vômito e perda de apetite – tudo que contribui para a perda de peso.

Nervosismo e Diarreia

A diarreia é um sintoma quase clássico do nervosismo: quem nunca passou por uma inesperada “dor de barriga” de tão nervoso que estava em ter que falar em público, por exemplo?

Para esses casos, é válido tomar um medicamento antidiarreico para evitar contratempos, como Imosec e Diasec.

Nervosismo e Pressão Alta

O nervosismo em excesso pode elevar a pressão e causar sintomas como dor na nuca, tontura e visão turva. Além disso, o nervosismo pode causar, a longo prazo, a hipertensão.

Nervosismo e Tontura

A tontura é outro sintoma que pode estar presente em crises nervosas, além da falta de ar, palidez, suor frio, tremores e até desmaio.

É fundamental avisar à pessoa mais próxima o que você está sentindo e procurar um lugar arejado para sentar e tomar ar fresco, respirando lenta e profundamente.

Remédios para Nervosismo – Calmantes

Mesmo os remédios naturais à base de ervas devem ser tomados para controlar o nervosismo quando prescritos pelo médico, como Calman, Pasalix e Valerimed.

Remédios benzodiazepínicos indicados para tratar transtornos de ansiedade e depressão também podem ser recomendados pelo médico, mas nunca tomados por conta própria, pois são tarja preta e podem causar efeitos colaterais nocivos:

A melhor maneira de tratar o nervosismo é naturalmente. Se o nervosismo em excesso está atrapalhando a sua rotina, o seu trabalho e o modo como você se relaciona consigo mesmo e com os outros, a psicoterapia é indicada e pode ser feita com o psicoterapeuta, psicólogo ou psiquiatra.

Você pode recorrer, também, a remédios 100% naturais: o chá de erva-cidreira, chá de erva-doce, chá de camomila, chá da flor de maracujá e o chá de alface, que possuem efeito calmante e podem ser tomados durante todo o dia.

Atualizado em: 22/05/2018 na categoria: Doenças Emocionais