» » Sintomas de HIV: AIDS – O que é uma Pessoa Soropositiva?

Sintomas de HIV: AIDS – O que é uma Pessoa Soropositiva?

A AIDS, causada pelo HIV (vírus da imunodeficiência humana) causa sintomas como cansaço, perda de peso, sudorese noturna, erupções e pústulas na pele. Os sintomas da AIDS podem surgir até 10 anos após a infecção e serem confundidos com uma gripe comum ou mesmo serem mais graves, como:

  • Tosse sem secreção;
  • Diarreia persistente;
  • Dor no corpo;
  • Dor de cabeça e visão turva;
  • Candidíase na boca e na região genital;
  • Erupções e pústulas (manchas vermelhas e bolhas pequenas) na pele;
  • Pneumonia e outras doenças infecciosas, danos nos sistema nervoso e cânceres.

O tempo entre a infecção pelo vírus do HIV e o desenvolvimento da AIDS, até mesmo sem tratamento, pode demorar de 6 meses até 10 anos e ser silencioso.

Por isso mesmo é importante manter os exames em dia para começar o tratamento o quanto antes se estiver infectado com o vírus e prevenir a sua transmissão para outras pessoas durante esse período.

Quando o vírus ataca o sistema imunológico do paciente a AIDS se instala no organismo, tornando-o frágil e suscetível a diversas infecções, como a tuberculose, pneumonia e hepatite viral, consideradas como doenças oportunistas.

O que é uma Pessoa Soropositiva?

Uma pessoa soropositiva é aquela que possui o vírus HIV, o que não é o mesmo que ter AIDS.

Todo portador do HIV desenvolve a AIDS e transmite o vírus?

Um paciente pode não desenvolver a AIDS mesmo que seja soropositivo (portador do vírus HIV). Uma pessoa soropositiva com tratamento antirretroviral adequado (TAR eficaz) e sem qualquer outra doença sexualmente transmissível não transmite o HIV para outras pessoas durante o contato sexual.

No entanto, o uso da camisinha é recomendado para prevenção de outras DST’s, de uma gravidez indesejada e do contato do paciente com outros subtipos de vírus do HIV que aumentariam a sua carga viral, aumentando, assim, as chances de desenvolverem a AIDS.

O tratamento adequado da síndrome possibilita, inclusive, que mães soropositivas possam engravidar e dar à luz bebês saudáveis.

Prevenção do HIV com medicamentos

Há ainda uma maneira de prevenir a infecção pelo HIV com remédios, indicada, principalmente para pessoas com comportamento de risco, através da PrEP (profilaxia pré-exposição).

Nesse caso, o indivíduo toma uma dose do medicamento antirretroviral (específico para AIDS) diariamente e pode ter as chances de contrair o HIV reduzidas em até 100%.



O que é HIV-1 e HIV-2?

HIV-1 e HIV-2 são os dois tipos mais comuns do vírus da imunodeficiência humana, que pode causar a AIDS. O HIV-1 é o tipo mais comum, enquanto O HIV-2 ocorre mais no norte da África, embora também esteja presente em outros países, como Estados Unidos e Brasil.

Os dois tipos do vírus possuem o mesmo efeito no organismo e podem ser mortais, mas o HIV-2 age de maneira mais lenta, pois possui menos partículas virais que o HIV-1 e, por isso, leva mais tempo para atacar o sistema imunológico do paciente e causar a AIDS propriamente dita.

O risco de transmissão do HIV-2 também é menor, embora exista. Por sua vez, o HIV-2 é resistente aos medicamentos antirretrovirais do tipo não-nucleosídeos, alguns dos remédios que são prescritos no Brasil para o tratamento.

Um paciente infectado com o vírus HIV-1 tem as chances de desenvolver a AIDS aumentadas se contraírem o HIV-2, pois terá sua carga viral aumentada se replicando no organismo ao mesmo tempo.

Como Ocorre a Transmissão do HIV?

O HIV é transmitido através do sêmen, sangue, secreções vaginais e leite materno. Dessa forma, o HIV pode ser transmitido nas seguintes situações:

  • Durante o sexo desprotegido: vaginal, oral e anal;
  • Transfusões de sangue contaminado ou pelo uso compartilhado de seringas;
  • Durante o parto, durante a gravidez e pelo leite materno (da mãe infectada para o bebê);
  • Objetos e instrumentos cortantes com sangue contaminado.

Não tenha medo de beijar, abraçar ou conviver com uma pessoa soropositiva. O HIV não é transmitido através do suor, das lágrimas, picada de insetos, toalhas, sabonetes, lençóis, copos e talheres compartilhados, usando a piscina ou o banheiro, doando sangue ou pelo ar.

Todas as formas de relações sexuais devem ser feitas apenas com proteção adequada, já que um indivíduo que está com o vírus, mesmo que não apresente sintomas, pode transmiti-lo.

Tratamento para o HIV/AIDS

A AIDS não tem cura, mas pode ser controlada através de medicamentos antirretrovirais, específicos contra o HIV e que aumentam significativamente a qualidade de vida do paciente.

Os remédios antirretrovirais diminuem e controlam o vírus HIV no organismo, evitando, assim, que o sistema imunológico do paciente seja atacado e que doenças oportunistas se instalem. Isso também diminui os riscos de transmissão do vírus e contribui para reduzir as taxas de mortalidade da doença.

Hoje em dia, a maioria das pessoas soropositivas convive com o vírus da AIDS e desfrutam de qualidade de vida. Só morre de AIDS quem não adere ao tratamento ou quem não faz o exame para descobrir a infecção a tempo de se cuidar.

Atualizado em: 30/08/2017 na categoria: Doenças Infecciosas